Notícias

Prazer Nas Aflições

“Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas aflições, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”
(II Cor 12.10)

O que é isso?

O apóstolo Paulo disse que permanecia satisfeito nas coisas que nos incomodam e afligem?

Isso não é coisa de masoquista, ou seja, de quem tem prazer em sofrer?

Paulo não disse que tinha prazer no sofrimento propriamente dito, mas que continuava se sentindo satisfeito mesmo em meio a qualquer tipo de coisa que pudesse lhe causar aflição e sofrimentos.

Ele havia aprendido de Cristo que não é pela remoção das cousas que nos afligem que se pode sentir a verdadeira satisfação, alívio e alegria.
Isso decorre de se sentir fortalecido pela graça do Senhor Jesus em meio a condições desagradáveis, especialmente daquelas que não podem ser removidas por nós, e que nem mesmo o próprio Deus está disposto a remover.

Tal como se dera com o espinho na carne do apóstolo Paulo, que o levara a orar e pedir aos Senhor, por três vezes, que o removesse, mas seu pedido fora negado com a resposta de que a graça lhe bastava, e que o poder se aperfeiçoa na fraqueza.

Poder de continuar amando com o amor de Deus, poder de ter paz em meio às aflições, poder de vencer todo tipo de tribulação mantendo o coração em paz, mesmo quando as causas das coisas que nos fazem sofrer, não são removidas.

Paulo aprendera então, assistido e fortalecido pela graça, que o verdadeiro poder consiste em permanecer na paz de Cristo e satisfeito, em toda e qualquer circunstância.

Que tal, experimentarmos então, pedir ao Senhor que nos conceda graça para suportar com bom ânimo enfermidades que não são curadas, e injúrias, perseguições e aflições que nunca cessam.

Se não aprendermos esta lição nunca poderemos manter a paz de Cristo permanentemente em todas as circunstâncias.

Porque é necessário aprender a estar em paz mesmo quando as causas de nossas aflições não são removidas e parecem que nunca terão fim, tal como o espinho na carne de Paulo.

Isto deve ser aplicado especialmente no relacionamento com as pessoas que amamos e que fazem parte do nosso círculo de amizade, que muitas vezes apresentarão fraquezas e hábitos que incomodam e que devemos aprender a suportar em paz e em amor, pela capacitação recebida da graça do Senhor.
Mas como se pode ter isto, sem ter a Cristo?

Não se pode ter a graça e a paz de Cristo, se não mantivermos comunhão com Ele, permanecendo nEle e na Sua Palavra.

Veja que Paulo estivera no terceiro céu, na presença de Deus, pouco antes da experiência do espinho na carne, que ele definiu como sendo um mensageiro de Satanás que continuamente o humilhava.

Assim, mesmo a visão do terceiro céu, não será suficiente para nos manter satisfeitos em todo o tempo, senão somente a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo, porque no mundo sempre teremos aflições, que podem ser superadas somente com o poder de Deus que se aperfeiçoa na nossa fraqueza.

Deixemos então, de lado, de uma vez por todas, o comportamento de meninos que permanecem emburrados enquanto são submetidos a qualquer circunstância que os aborreça.

Deixemos de olhar para as pessoas ou coisas que nos afligem, e nos submetamos inteiramente à graça do Senhor para sermos fortalecidos e continuarmos alegres e satisfeitos, ainda que em meio às aflições.